A pandemia mudou o jogo do varejo: as compras pela internet realmente caíram no gosto dos brasileiros. A digitalização, assim como uma melhor experiência de compras nas lojas físicas é que prometem ser um diferencial no competitivo comércio. De acordo com o Relatório de Varejo 2021 da Adyen, empresa global de tecnologia de pagamentos, por exemplo, 90% dos entrevistados afirmaram que não voltam a comprar de marcas se tiverem vivido uma experiência ruim na loja física ou on-line.

Após a semana do Natal, os setores de comércio e serviços esperam pelos consumidores para os gastos de Ano Novo, e uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, revela que os gastos podem ser altos. Segundo o levantamento, em média, os consumidores brasileiros devem gastar R$ 312,04 com as comemorações da virada do ano.

Este ano, com o avanço da vacinação, os brasileiros estão mais animados para as comemorações de Natal. De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas, os brasileiros devem gastar, em média, R$ 289,12 com a ceia/almoço de Natal, valor R$ 64 acima do que o apresentado em 2020.

O Sebrae e o Banrisul firmaram, nesta sexta-feira (26), convênio de cooperação técnica e financeira para uso da garantia do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (FAMPE), que permitirá a concessão de até R$ 120 milhões na linha de crédito Banrisul FAMPE Mais. O anúncio ocorreu em evento virtual, com a presença do presidente do Banrisul, Cláudio Coutinho; do presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles; do diretor-superintendente do Sebrae/RS, André Vanoni de Godoy; do vice-presidente do Banrisul, Irany de Oliveira Sant’Anna Junior, e de executivos das duas instituições.

Com o avanço tecnológico e ataques de hackers cada vez mais frequentes, os custos com crimes cibernéticos aumentaram em 2021 de $3.8 milhões para $4.2 milhões a cada violação de dados, chegando ao preço total médio mais alto dos últimos 17 anos, segundo pesquisa da IBM.