Já há algum tempo, a tecnologia se tornou palavra de ordem para quem deseja tocar um negócio de sucesso. Com a pandemia, essa necessidade se tornou ainda mais evidente. Muitas empresas tiveram que adotar novas estratégias para manter sua saúde financeira e melhorar a experiência de compra dos consumidores, implementando, por exemplo, novos meios de pagamento.

As formas de pagamento estão cada vez mais modernas, agregando praticidade, tecnologia e muita segurança na hora de finalizar sua compra. Dentre os novos meios de pagamentos, ferramentas como contactless ou pagamento por proximidade (NFC) e código QR Code aceleram os processos de compra e venda, são mais econômicas e não necessitam de contato, importante especialmente em período de pandemia.

Junto com as novidades, surgem dúvidas e desinformações sobre dessas ferramentas. Consultamos a Seven, empresa com mais de 15 anos de experiência em soluções para transações financeiras, para listar os “mitos” e “verdades” dessas duas formas de pagamento. Vamos a elas!

O varejo sempre foi um dos segmentos que mais cresceu no Brasil. Em contrapartida, a pandemia do Covid-19 trouxe grandes danos econômicos nesse setor que se viu na obrigação de buscar alternativas cabíveis para continuar com as portas abertas.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mesmo que de forma tímida o cenário é bastante positivo, em especial, para o varejo restrito, onde a expectativa de aumento está na casa dos 3,9%.

A pandemia deixou todas as relações mais digitais, inclusive a de empresas com clientes. Uma pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas no ano passado mostrou o WhatsApp como a plataforma mais utilizada pelos empreendedores para impulsionar as vendas. De olho nisso, o Sebrae disponibilizou 15 cursos gratuitos e online para este público fazer pelo aplicativo.

A pandemia alterou para sempre o comportamento dos consumidores. O que valorizamos, como consumimos e onde gastamos nunca mais serão a mesma coisa. As empresas que explorarem e entendem essas mudanças estarão um passo à frente da concorrência. Pensando nisso a Euromonitor International divulgou nesta terça-feira (19) a edição 2021 do relatório “10 Principais Tendências Globais de Consumo”. No documento, a empresa inglesa de consultoria listou o que seria a inclinação do consumidor para os próximos anos, que, invariavelmente, passará por sentimento de resiliência e adaptabilidade, sempre em busca de um futuro melhor para si e para o planeta.

Subcategorias