Vivemos em tempos virtuais e digitais, em que a tecnologia da informação tornou-se indispensável, nos mais variados segmentos, em âmbito pessoal e profissional. A velocidade das informações, assim como a facilidade das mesmas, tornou-se um mal necessário ao desenvolvimento de nossas rotinas diárias.

No mesmo sentido, não se pode afastar os projetos e iniciativas relacionadas à sustentabilidade que também permeiam nossas rotinas, visando salvaguardar o meio ambiente, assim como transformar velhos hábitos em melhores práticas.

Uma startup de sucesso começa com uma boa ideia. No entanto, no meio de tantas possibilidades que passam pela cabeça de potenciais empreendedores, como escolher a que tem mais chances de dar certo como negócio?


 Maurício Benvenutti, empreendedor digital e sócio do Startse, plataforma para conectar investidores e empreendedores, aconselha, se todas as ideias parecem muito boas, a escolher aquela que passa pela cabeça mais vezes quando não se está pensando em trabalho. Além disso, o empreendedor digital afirma que é preciso saber exatamente qual problema a startup irá solucionar.

Nota de posicionamento: A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) reconhece o atual momento político do país e defende os avanços da modernização trabalhista, tributária e previdenciária, no Congresso Nacional, mesmo diante da crise que enfrenta o Brasil desde a última quarta-feira (17/04).

Para a entidade, que representa mais de 450 mil lojistas em todo país, as medidas são necessárias para a retomada do desenvolvimento nacional e a geração de novos postos de trabalho. “Precisamos trabalhar para que o cenário político não atinja ainda mais a economia, que já vinha apresentando sinais de recuperação. Neste momento, precisamos de serenidade para que os prejuízos sejam os menores possíveis para todo o país”, defende o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Fonte: CNDL

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), mais de 90% das empresas constituídas no Brasil são familiares. Mas, muitas delas não estão preparadas para sucessão, um problema revelado através de números. De cada 100 empresas familiares abertas e ativas, apenas 30 sobrevivem à primeira sucessão e cinco chegam à terceira geração. Como evitar o fracasso? A coach da Effecta Coaching, Janaina Manfredini, revela que existem três peças fundamentais no processo de sucessão familiar:

As vendas do Dia das Mães cresceram este ano, revertendo desempenho negativo de anos anteriores e com o comércio eletrônico mostrando evolução acima da média, de acordo com levantamentos de empresas e organismos que acompanham o varejo nacional.

 

O crescimento ocorreu com uma combinação de melhora na confiança do consumidor ante níveis vistos no ano passado, redução da inflação, queda de juros, além da liberação de bilhões de reais em recursos de contas inativas do FGTS.

Subcategorias