Foi dada a largada para a temporada de contratações de fim de ano nos setores de comércio e serviços. Para este ano, a expectativa é de que sejam abertas 59,2 mil vagas em todo o país — número levemente superior aos 51 mil novos postos previstos para o mesmo período do ano passado. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que o principal motivo de reforçar o quadro de funcionários é atender ao aumento da demanda neste período do ano.

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de devedores acelerou no último mês de setembro e apresentou alta de 9,39% na comparação com o mesmo mês do ano passado. O avanço no volume de empresas devedoras foi puxado, principalmente, pela região Sudeste, cujo crescimento foi de 17,16% na comparação anual. Nas demais regiões também houve alta na quantidade de empresas inadimplentes, mas em patamares menores: 4,60% no Sul; 4,38% no Centro-Oeste; 2,78% no Nordeste e 1,83% no Norte.

O número de pessoas desocupadas caiu 3,7% no trimestre encerrado em setembro, atingindo 12,5 milhões de pessoas, segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (Pnad Contínua). Puxado pelo trabalho informal (sem carteira assinada), a população ocupada aumentou 1,5%, aumentando a taxa de desocupação de 11,9% para 12,4% no período, na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

A Black Friday é reconhecida como uma das principais datas do varejo mundial – e no Brasil não é diferente. A iniciativa, que acontecerá este ano no dia 23 de novembro, é o momento em que muitos varejistas aproveitam para ampliar suas vendas, desafogar seus estoques e conquistar novos clientes.

O atendimento ao cliente sempre foi a base de uma empresa de sucesso. Área sensível e estratégica, se tornou motor de bons negócios, validando tomadas de decisões muitas vezes difíceis e mostrando novos caminhos e possibilidades. É dessa proximidade entre empresa e cliente que aprendemos o valor dos feedbacks, desenvolvemos empatia e engajamos colaboradores. Mais do que isso: é dessa relação que nasce uma cultura forte, capaz de transformar o atendimento de excelência em algo natural. Cada vez mais, atender bem precisa fazer parte do dia a dia de uma empresa. E o primeiro passo para chegar lá é estar aberto para ouvir os clientes.