Em tempos de alta concorrência e briga constante pelo consumidor, as marcas mundo a fora ainda estão no “jardim de infância” na arte de manter o cliente fiel; pelo menos é o que aponta um estudo da Forrester Consulting.

Não importa qual seja a atuação da sua empresa nem o tamanho dela. Certamente você deve estar jogando dinheiro fora de alguma maneira. É muito comum encontrar empresas que não se dão conta dos gastos desnecessários e prolongam essa situação por anos. Pode até não ser um valor muito expressivo, mas por que não cortar gastos que, na verdade, são dispensáveis? A longo prazo, esses valores podem somar grandes quantias que poderiam ter sido investidas, em vez de desperdiçadas.

Os gestores bem sucedidos carregam em comum o fato de conhecerem profundamente o mercado onde atuam, dominarem seu negócio e principalmente dos concorrentes - e contar com a capacidade de lidar com volatilidade e riscos inerentes ao negócio.

A Black Friday já está consolidada no calendário do varejo brasileiro como o dia das promoções. É a data de vender muito. Mas se as ações não forem planejadas, o lojista não terá lucros e ainda pode perder clientes. Aproveite essa data para estimular a criatividade da sua equipe e fazer seu estoque girar ainda mais. Vamos ao passo a passo rápido e objetivo para adotar o conceito de Black Friday de verdade?

 

A perspectiva de melhora no humor do consumidor e o consequente avanço das vendas têm animado os shoppings. Às vésperas da Black Friday e a chegada do período natalino, os administradores contam com o aumento de 7,7% nas vendas em setembro para sustentar previsão de crescer 6% na soma do ano.