A lenta recuperação do atual cenário econômico no país não parece ter desanimado os filhos brasileiros. Muito pelo contrário: de acordo com levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) nas 27 capitais brasileiras, 67% dos consumidores pretendem ir às compras por conta do Dia dos Pais. A taxa representa um aumento de seis pontos percentuais em relação a 2018. Na prática, isso significa que aproximadamente 105 milhões de pessoas devem comprar presentes para entregar a seus entes queridos no segundo domingo de agosto.

Existe um sistema de comércio que se move nas sombras. Ele não faz propaganda, não anuncia seus produtos e ainda assim é um dos mais rentáveis do mundo. Trata-se do comércio ilegal de mercadorias, um fenômeno que remonta aos primórdios das transações mercantis e, com a expansão do comércio mundial, atingiu patamares assombrosos. Hoje, ele movimenta trilhões de dólares, prejudica nações e consumidores e não contribui em nada para o desenvolvimento dos países.

Data comemorativa movimenta mercado de beleza masculina. Ao identificar crescimento de demanda no setor, empresa investe no varejo físico e estima lucro de R$ 20 milhões neste ano

Atraídos por “desburocratização”, taxas mais baixas e outras facilidades, jovens de 18 a 34 anos são maioria entre os adeptos da virada digital financeira

Após abrir ano em alta, humor do brasileiro vem se desgastando com frustração na recuperação do país; 34% estão pessimistas com futuro da economia, ao passo que 26% otimistas. Reforma da Previdência e liberação de saques do FGTS podem reverter tendência de queda