A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) participou, nesta quinta-feira (17), da assinatura de um acordo de cooperação entre a Caixa Econômica Federal e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), que visa impulsionar o segmento varejista do país. O banco vai destinar R$ 1 bilhão em recursos para o setor, além de disponibilizar condições diferenciadas para os associados ao sistema CNDL.

O setor produtivo tem se aproximado mais do poder público neste semestre, buscando promover o desenvolvimento econômico da capital e fortalecer o setor. Com esse intuito, na última terça-feira (15), membros da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) se reuniram com o governador Rodrigo Rollemberg, na Secretaria de Economia e Desenvolvimento Sustentável.

Com a atual crise econômica vivida no Brasil, o mercado de franquias tem se tornado aposta de boa parte dos novos empresários. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising, o faturamento do setor alcançou R$ 38,8 bilhões no primeiro trimestre de 2017, e o número de lojas franqueadas cresceu aproximadamente 1,3% em comparação com o ano passado, totalizando 142.673 unidades no País.

“Retomar a economia do Distrito Federal é urgente, e isso se dá com confiança e em um processo de construção coletiva. A Secretaria de Economia e Desenvolvimento Sustentável só tem uma razão de existir, que é apoiar o setor produtivo do DF. Se Brasília não abraçar o setor produtivo, não vai sair da crise em que está.” As palavras do secretário Valdir Oliveira, em entrevista exclusiva à Câmara de Dirigentes Lojistas do DF, CDL-DF, refletem o novo posicionamento do governo e ampliam as chances de sucesso e de um futuro melhor para nossa cidade, anseio de todos os empresários.

Mesmo em períodos de recessão, as datas comemorativas sempre movimentam o comércio além do normal e, no próximo Dia dos Pais, o número de pessoas que pretendem ir às compras é maior que no ano passado. Um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais do País, mostra que 57% dos brasileiros têm a intenção de comprar presentes – em 2016, menos da metade da população (49%) tinha a intenção de presentear na data. Uma notícia ainda melhor é que a maior parte dos entrevistados (75%) planeja pagar à vista.