Pela primeira vez na história, a participação das empresas na carteira de crédito do País ficou menor que o das famílias brasileiras.

  A mudança no mix de empréstimos e financiamentos no sistema bancário foi provocada por dois fatores diferentes.

  De um lado, estão as empresas com elevada capacidade ociosa que pararam de buscar crédito no mercado. Do outro, estão as companhias inadimplentes, que precisam se financiar – ou rolar dívidas – e não conseguem aprovação dos bancos.  

O modelo de negocio é a forma em que a empresa cria e captura valor para todos os seus principais públicos de interesse, colhendo vantagens para seus clientes. Pensando estrategicamente, esta é uma preocupação constante para os empreendedores. Mas como saber se a sua empresa precisa investir em um novo modelo- e que transforme a forma de gerar valor?

  Todas os segmentos empresariais podem apresentar um modelo de negócio dominante. Donos de supermercados, por exemplo, seguem a mesma maneira de venda, criando um estilo único que todos os concorrentes respeitam. Podemos dizer que este modelo está próximo da máxima eficiência, ou seja, não há muito o que melhorar. Quais os caminhos para ganhar com esta regra de jogo? Ser o líder deste modelo dominante ou criar um novo modelo que transforme a base de geração de valor.

Os analistas das instituições financeiras reduziram a estimativa de inflação para este ano, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 4,43% para 4,36%. Foi a oitava redução seguida do indicador.

As expectativas dos analistas do mercado financeiro foram coletadas pelo Banco Central na semana passada e divulgadas nesta quarta-feira (1º) por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. Mais de cem instituições financeiras foram ouvidas.

Feriados prolongados são datas favoráveis a perda e extravio de documentos – e se eles caem em mãos erradas isso pode trazer grande dor de cabeça para o cidadão. Com o carnaval de Brasília em ascensão e uma quantidade de pessoas cada vez maior nos blocos de rua, é necessário redobrar os cuidados para evitar transtornos. Mas, quando o extravio acontece, informar a polícia e os órgãos de proteção ao crédito, que fornecem serviços específicos para esses casos, pode minimizar os danos.

Com a crise econômica vivida pelo País, o número de desempregados é alto. No Distrito Federal, a taxa chegou a 19,33% em janeiro, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diees). Apesar desses dados preocupantes, o comércio tem reagido e contribuído para mudança do quadro.  

A pesquisa “O desemprego e a busca por recolocação profissional no Brasil”, realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) juntamente com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), mostra que, no Brasil, 7 em cada 10 desempregados aceitariam um salário inferior ao que ganhavam no último emprego. De acordo com o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, isso se justifica pelos sinais de melhora que a economia tem apresentado. “As pessoas querem trabalhar e acreditam que, com a melhora da economia que todos estamos esperando, elas podem ganhar mais no futuro próximo”, afirma.