A reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Distrito Federal (CDES-DF) desta quinta-feira (3) apresentou propostas nas cinco câmaras temáticas do órgão. Diversas entidades membros manifestaram anseios e preocupações, inclusive a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do DF, representada pelo presidente, José Carlos Magalhães Pinto. O encontro ocorreu na Residência Oficial de Águas Claras, com a presença do governador, Rodrigo Rollemberg.

 

 

Os grupos trataram de questões relacionadas a água, resíduos sólidos, dinamização da economia, educação como plataforma para o desenvolvimento, e uso e ocupação do solo. Todos contam com representantes do setor produtivo e de trabalhadores, seja do Governo do Distrito Federal (GDF) ou da sociedade civil.

 

José Carlos elogiou o “trabalho duro” feito nas últimas semanas pelo governo, pelo secretário de desenvolvimento econômico, Antônio Valdir Oliveira, pela CDL-DF e outras entidades, como a Fibra, a Fecomércio e o Sindiatacadista, em busca de melhoria econômica no DF. Mas lembrou que ainda há um longo caminho a percorrer, e sugeriu que o varejo brasiliense tenha alguns incentivos fiscais, para que o setor tenha preços mais competitivos com os vizinhos, especialmente Goiás.

 

Ele ressaltou que Brasília recebe mais pessoas de fora a cada ano, do turismo a eventos de trabalho, como congressos, e os visitantes acabam sendo atraídos para outlets goianos na hora de fazer compras, que são próximos e têm produtos com valores mais baixos. ”Porque, então, não fazer do DF um polo varejista?”, questionou o presidente. “Com preços mais atrativos, as pessoas não vão precisar se deslocar para outro estado.”

 

A fim de alcançar esse objetivo, ele lembrou, como ocorre em outras cidades, da importância de revitalizar áreas comerciais relevantes para a capital, como o centro de Taguatinga e a W3 Sul. “O projeto de revitalização que propusemos para a W3 segue parado na Novacap”, lamentou.

 

O governador destacou a importância da atuação do conselho para que o presidente da República sancione o projeto de lei sobre convalidação de incentivos fiscais na íntegra. No dia 12 de julho deste ano, foi aprovado no Congresso o texto que concede ao DF os mesmos incentivos e benefícios que estados vizinhos a empresas. Uma moção de apoio à emenda que dá ao DF igualdade de condições foi aprovada na reunião do CDES-DF desta quinta-feira.

 

O conselho, além de votar e aprovar as propostas apresentadas, criou uma câmara técnica para tratar da informalidade da economia. A formação de um grupo de trabalho que busca a uniformização de normas para o desenvolvimento econômico também foi aprovada.