Termina nesta segunda-feira (31) o primeiro prazo para que grandes geradores de resíduos sólidos façam seu cadastro no site do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e passem a arcar com as despesas de recolhimento de lixo. A partir de terça-feira (1.º), o SLU recolherá apenas os materiais recicláveis secos dos estabelecimentos que produzem acima de 2 mil litros por dia. Os comerciantes da capital estão se adaptando às mudanças.

 

Segundo o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), Antônio Xará, poderá haver impacto para todos os envolvidos no processo. “Com os empresários assumindo as despesas do recolhimento, esse custo pode acabar sendo repassado ao consumidor”, observa.

 

Entretanto, a entidade reconhece a importância de melhorar o sistema de descarte de materiais – não só das empresas, mas de toda a sociedade. “A mudança traz a oportunidade de que tanto lojistas quanto os demais cidadãos repensem o processo de separação e destinação do lixo, procurando alternativas mais sustentáveis e promovendo uma cidade mais limpa”, observa. A medida faz parte de Lei de Grandes Geradores de Resíduos, aprovada no DF no ano passado.

 

O prazo para adequação foi escalonado. Assim, até 31 de outubro, as empresas que produzem acima de mil litros de resíduos também deverão fazer seu cadastro; depois, até 31 de dezembro, a medida se estenderá também às que produzem mais de 120 litros de lixo não reciclável e orgânico. O SLU indica algumas empresas prestadoras desse serviço, que podem ser contratadas aqui: http://www.slu.df.gov.br/component/k2/item/2522.html