Feriados nem sempre são as datas favoritas dos lojistas, pois o comércio fecha as portas e não há faturamento nesses dias. Por outro lado, eles podem impulsionar as vendas nas semanas anteriores, e no carnaval não é diferente. Com a economia do País apresentando sinais de melhora, os comerciantes do Distrito Federal estão otimistas e esperam um resultado melhor que o de 2016, especialmente por conta do crescimento das festividades carnavalescas na capital.

Em 2015, os blocos de rua, principal atração carnavalesca da cidade, atraíram 370 mil pessoas. No ano passado, o número subiu para 870 mil, e a estimativa para 2017 é reunir 1,9 milhão de foliões, segundo a Secretaria de Cultura.

 De acordo com o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, os comerciantes locais estão animados com as perspectivas de vendas das próximas semanas, pois muita gente fica na cidade, mesmo que não seja para pular carnaval – principalmente em anos em que a data cai muitos dias depois do início do ano escolar, como este. “As pessoas continuam consumindo, pois muitas preferem comer fora de casa, por exemplo. E a semana que antecede ao carnaval é um período muito interessante para setores como os de vestuário, acessórios e lojas de fantasias, procurados pelos foliões”, afirma.

Não se pode esquecer o momento econômico vivido pelo País, o impacto dos dias de fechamento do comércio e fatores externos, como a reserva financeira de parte da população para a compra de material escolar neste início de ano, segundo o presidente. Ainda assim, o consumidor não deixa de comprar. “O que muda é que ele passa a ter mais critérios: pesquisa mais, foge de compras financiadas em longo prazo e de juros altos”, ressalta.

No entanto, para que o carnaval tenha um impacto positivo sobre o comércio, é importante que o lojista se organize e invista naquilo que seja atrativo para o consumidor. “Lojas com estoque, grande variedade de produtos, decoração carnavalesca sedutora, promoções e condições especiais de venda são importantes para o momento”, defende José Carlos. “Contar com uma equipe que pratique o bom atendimento é, certamente, um diferencial.”