Se tratando de Tecnologia da Informação aplicada ao negócio, o setor financeiro no Brasil ganha disparado em termos de montante de dinheiro investido para fazer o negócio acontecer. Entretanto, o avanço da transformação digital vem imponto ritmo diferente nas empresas de diversos setores, como é o caso do Varejo. Aliás, essas duas verticais nunca estiveram no mesmo patamar de demanda: falar a língua do cliente, mergulhar no digital, ter eficiência operacional e ser inovador.


E o perfil dos consumidores é um dos fatores para a explosão do digital no cotidiano dos varejistas. Aqui, não há mais espaço para amadorismo ou ambientes tradicionais, o Varejo é uma indústria dinâmica e precisa ser operado da mesma forma. Para o gerente de Marketing da Nutty Bavarian, Danilo Tanaka, a empresa trabalha com foco no digital, principalmente nas redes sociais.

Na contramão do que muita gente pensa, um profissional altamente produtivo não é o que resolve um grande número de tarefas em pouco tempo; na verdade, é aquele que sabe selecionar as poucas atividades que merecem sua atenção — e não desiste até que estejam concluídas.

Entender essa diferença conceitual é o primeiro passo para alavancar o seu rendimento e ter sucesso em um mercado de trabalho cada vez mais exigente, explica Brian Tracy, especialista em administração do tempo e autor do best-seller “Comece pelo mais difícil” (Sextante, 2017

De tudo que você quiser fazer da sua vida, e graças a Deus cada vez existem mais possibilidades, o empreendedorismo certamente é um dos caminhos mais difíceis. Apesar de muitas vezes a imaginação da maioria tem outra ideia ao verem em revistas e histórias de grandes empresários e suas aquisições.

O detalhe é que quando começam a levar mais a sério a questão e se movimentar para empreender, a cobra-fuma, o bicho pega, ou qualquer gíria que você use para destacar que a encrenca é pesada.

A capital do País comemora 57 anos de existência nesta sexta-feira (21), e de 1960 para cá a cidade mudou. Na maior parte desse tempo, a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), que completou 52 anos este mês, ajudou a construir o comércio local e lutou pelos direitos dos lojistas perante o poder público.

No início, vender a prazo era uma aventura de alto risco. Os moradores vinham de fora, com a necessidade de adquirir bens, e sem nenhuma referência. Muitas vezes, estavam na cidade apenas de passagem. “O calote era comum, e os lojistas amargavam prejuízos, o que levou muitos deles à falência”, conta o atual presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto.

Na noite de segunda-feira (17), o secretário adjunto da fazenda do DF, Wilson José de Paula, e o secretário de economia e desenvolvimento do DF, Antônio Valdir Oliveira Filho, se reuniram com diretores, conselheiros e associados da CDL-DF na sede da entidade. O encontro buscou abordar as contas do governo com transparência e convidar os empresários a participarem da agenda pública local.

Wilson José de Paula apresentou o sistema de monitoramento de receita do DF, mostrando a arrecadação e os gastos da pasta, além do controle diário dos produtos que entram e saem da cidade, com acompanhamento individual dos produtos e relação dos itens mais comprados fora do DF, reunidos por notas fiscais, CPF e CNPJ.