O País deve registrar uma melhora nos investimentos do varejo brasileiro este ano, mas ainda insuficiente para reverter o fechamento de 223 mil estabelecimentos comerciais que encerraram suas atividades durante a crise, segundo prognóstico divulgado nesta quinta-feira, 31, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Com o cenário econômico desfavorável, boa parte das famílias passou a administrar melhor o orçamento. A constatação é de um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Banco Central do Brasil (BCB). De acordo com o estudo, oito em cada dez (79%) brasileiros mudaram seus hábitos no dia a dia e, entre as medidas adotadas, destaca-se a pesquisa de preços (59%) antes da aquisição de algum produto — percentual que chega a 68% nas classes A e B.

Na última quinta-feira, 7, O Presidente da Câmara dos Lojistas do Distrito Federal, José Carlos Magalhães Pinto, e Diretores participaram de reunião com os executivos do SPC Brasil, Bruno Lozzi, Renato Pavoni e Ronaldo Guimarães para apresentação do novo modelo de Certificação Digital e o sistema SPC RECOMENDA, que possibilita acompanhar a performance de serviços utilizados pelos clientes e criar estratégia para captação de novos.

Na última segunda-feira, 28, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, recebeu, no Palácio do Buriti, o prefeito do condado de Miami-Dade, em Miami, Carlos Giménez. O objetivo do encontro foi o de transformar o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck num dos principais pontos de recepção e distribuição de cargas da América Latina.

O comércio eletrônico está em alta no mundo inteiro, com indicadores que tendem a melhorar ainda mais neste ano. Com uma expectativa global de movimentar incríveis US$ 4 trilhões até 2025, o e-commerce vai exigir preparo por parte dos varejistas, que devem estar prontos para aproveitar mercados internacionais com grande potencial.Confira os países que mais devem movimentar o comércio eletrônico em 2019.