Nem todo investidor vem para ajudar a sua startup: é preciso saber diferenciar quem irá agregar ou não valor ao seu negócio, já que um mau investidor pode até levar seu negócio à ruína. Neste vídeo para empreendedores, Flavio Pripas, diretor do Cubo Coworking Itaú, mostra como reconhecer um aportador danoso para o seu empreendimento. Assista ao vídeo aqui.

Fonte: Exame

O volume de brasileiros com contas em atraso e registrados nos cadastros de devedores voltou a apresentar queda no último mês de agosto. Segundo dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) houve uma leve retração de -0,41% na quantidade de inadimplentes na comparação entre agosto deste ano com o mesmo mês do ano passado, o que configura a sexta queda consecutiva na série histórica do indicador. A última vez em que se observou um aumento no número de devedores havia sido em fevereiro deste ano, quando a alta fora de 0,41%.

O mercado de shopping centers começa a apresentar sinais de recuperação. Embora o setor tenha sido um dos menos abalados pela crise econômica, não saiu ileso. De uma sequência de crescimento de dois dígitos, chegou a registrar, no primeiro semestre do ano passado, uma queda de 0,9% em todo o Brasil. Entretanto, o cenário vem mudando. Representantes do segmento apontam que, desde março, as vendas voltaram a crescer, puxadas, principalmente, pela injeção de dinheiro da liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Com isso, para 2017, a expectativa nacional é de 7% de incremento no segmento.

Em tempos de crise econômica, muitas empresas quebram a cabeça para encontrar formas de motivar as pessoas que integram seus times. Isso acontece porque grande parte delas está acostumada a promover a felicidade por meio de recompensas financeiras. Mas será mesmo que essa é a única forma de fazer com que um colaborador se sinta motivado e engajado?

O aplicativo de mensagens mais popular para comunicação instantânea entre amigos e parentes agora está de olho nas empresas. O WhatsApp está desenvolvendo um aplicativo voltado para companhias, que poderão usar o programa para se comunicar com seus clientes.