A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal é parceira da MPEWeek, uma iniciativa do Banco do Brasil para mobilizar a população sobre a importância dos pequenos empreendedores para as comunidades locais e, assim, ajudá-los a faturar mais. Para participar, uma ou mais ofertas devem ser cadastradas no site até o dia 28/10 e o BB vai divulgar essas ofertas para todo o Brasil entre 29/10 e 4/11. A ação é direcionada às pequenas empresas e visa a incentivar seu crescimento. Além de impulsionar as vendas, os consumidores também serão beneficiados com o programa, que contará com promoções do Banco do Brasil e descontos exclusivos de marcas parceiras.
O presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, destaca: "é uma oportunidade única para o lojista expor seus produtos em uma vitrine nacional."

A 20.ª edição da Feijoada Sorriso Aberto, promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Jovem do Distrito Federal, arrecadou R$ 26 mil que serão doados para reformar a creche Oasis Bem-Me-Quer, de São Sebastião. O evento open bar e open food ocorreu no Dúnia City Hall (Lago Sul) e, mais uma vez, o lucro foi revertido para um projeto social.

A equipe da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Jovem se reuniu em Brasília na última terça-feira (23) para discutir o Dia da Liberdade de Impostos (DLI) 2019. O grupo realizou uma série de reuniões ao longo do dia para tratar dos detalhes da ação e definir uma data.

Além de aprofundar os problemas financeiros, as dívidas em excesso também podem ocasionar uma série de problemas emocionais e de comportamento. Um levantamento realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) descobriu que, em cada dez inadimplentes, seis (58%) passaram a se sentir mais ansiosos depois que ficaram devendo. Outros sentimentos que a maioria dos inadimplentes passou a vivenciar em algum grau foram a insegurança em não conseguir pagar as dívidas (59%) e o estresse (52%). Há ainda uma parcela considerável de devedores que passaram a se sentir angustiados (47%), com sentimento de culpa (46%) e desanimados (41%) após as pendências.

A confiança do consumidor brasileiro voltou a subir em outubro após dois meses de quedas diante das expectativas de mudanças no cenário econômico do país com o fim do período eleitoral, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV).