No final de agosto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado do PIB no segundo trimestre. De acordo com o Instituto, a soma de todas as riquezas produzidas no país chegou a R$ 1,7 trilhão entre abril e julho. É muito? É pouco?

Embora a inadimplência atinja 41% da população adulta do país, o volume de consumidores com contas em atraso que conseguiram quitar parte dessas dívidas cresceu 4,93% em agosto no acumulado em 12 meses. Trata-se da alta mais expressiva desde setembro de 2015, quando o crescimento observado fora de 5,8%. Já na comparação mensal, isto é, com entre agosto e julho, o avanço da recuperação de crédito foi de 4,2%. Os dados compõem o Indicador de Recuperação de Crédito mensurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e é obtido a partir das exclusões de registros de inadimplência mediante pagamento integral da dívida ou renegociação do débito.

Produzir, despachar, acompanhar e entregar! Esses processos fazem parte da área da Logística, um dos pilares mais importantes para algumas empresas de determinados segmentos que desejam não só estar à frente de seus concorrentes e conquistar a satisfação dos clientes, mas, principalmente, se consolidar no mercado.

 

Seja tentando realizar mais tarefas em um dia, mais trabalhos por técnicos por ano ou mais consertos realizados na primeira tentativa, existem diversas maneiras testadas ao longo do tempo para demonstrar o desempenho do serviço em campo por meio de métricas.

Seguindo o patamar registrado no primeiro semestre, o número de inadimplentes no Distrito Federal seguiu estável durante o mês de agosto, com ligeira queda de 0,81% ante julho. O dado é levantado mensalmente pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), e divulgado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do DF.