Para assegurar a melhoria do ambiente de negócios em Brasília, a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) continua seus trabalhos com o comércio brasiliense. As obras de revitalização da W3 Sul estão na reta final e as quadras 511 e 512 serão entregues com novas calçadas, estacionamentos e acessibilidade.

Não importa o tamanho da empresa, segmento de atuação ou localidade, fazer a sua empresa crescer ou trabalhar pela manutenção de seus negócios é sempre um desafio na realidade brasileira. Uma pesquisa feita pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao C rédito) em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) revela que 96% dos empresários brasileiros avaliam que a alta carga tributária e a complexidade do sistema de arrecadação representam uma barreira para o desenvolvimento de seus negócios. A queixa se sobressai, principalmente, na tributação sobre a fabricação e venda de produtos ou serviços, apontado por 53% da amostra como um empecilho.

A edição de setembro da Varejo s.a. destaca "Desafios do varejo: Como as empresas pensam e usam as tecnologias em busca da inovação”, com uma pesquisa que mostra o retrato de um setor que está atrás da inovação e tecnologia.

O IV Fórum Nacional do Comércio foi realizado nas últimas terça e quarta feiras (17 e 18/9) com a presença das maiores lideranças do varejo no centro de convenções do Royal Tulip Hotel. Na terça-feira, o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, traduziu o clima do encontro, lembrando que o evento tem, dentre seus principais objetivos, criar momentos de discussão sobre a economia do país. Essa discussão é uma forma de ampliar o debate para a esfera política, econômica e institucional com o propósito de submeter ao poder público propostas que redirecionem a política econômica para assegurar maior competitividade das empresas de comércio, bens e serviços.

Uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que a liberação dos saques das contas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), que começam nesta sexta-feira, dia 13, deve contribuir para que muitos inadimplentes regularizem o pagamento de suas contas em atraso. Entre os beneficiários que pretendem resgatar o dinheiro, 38% têm a intenção de quitar todas ou pelo menos parte de dívidas que estão pendentes — isso significa que aproximadamente 9,7 milhões de brasileiros devem utilizar esse dinheiro extra para ‘limpar o nome’ e, assim, voltarem ao mercado de crédito.