O grande destaque da edição de junho da revista Varejo S.A é a recente pesquisa realizada pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), que analisou os hábitos de gestão de finanças pessoais dos jovens da geração Z. Hoje, eles são considerados os primeiros nativos digitais, pois já nasceram em um ambiente com amplo acesso a recursos tecnológicos. 

Muito provavelmente, você já deve ter ido a alguma loja e saído de lá com alguns selos que poderiam ser trocados por artigos de cozinha ou, quem sabe, pelúcias de personagens da Disney. Isso tem uma explicação: são as campanhas de “selinhos de descontos”, a febre que tem levado consumidores a juntar e trocar selinhos por produtos com descontos que variam de 58% a 98%.

Em média, reincidência acontece três meses após primeiro atraso de conta; número de brasileiros que deixaram cadastro de devedores aumenta 11% em abril,

61% dos consumidores admitem ter aproveitado oferta de crédito para fazer compras por impulso; para entrevistados, internet e lojas de departamento são as que mais incentivam compras não planejadas. Comprar à vista garantiu desconto para 59% dos consumidores

A Lei nº 13.792/2019 trouxe flexibilidade às sociedades limitadas. A alteração do art. 1.063, § 1º, do Código Civil permite que os sócios majoritários (aqueles que possuem 50% + uma quota) destituam qualquer outro da administração de forma mais célere, evitando disputas prolongadas que poderiam afetar a operação da sociedade. A regra anterior dizia que somente dois terços do capital social poderiam destituir um administrador sócio. Quanto ao administrador não sócio, a regra continua, qual seja, a maioria (aqueles que possuem 50% + uma quota).