Confirmando a expectativa de que a recuperação econômica será lenta e progressiva, o volume de vendas a prazo na semana anterior a Páscoa (que, este ano, foi entre os dias 9 e 15 de abril) apresentou um leve crescimento de 0,93% na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se da primeira alta observada na data desde o ano de 2014, quando o crescimento fora de 2,55%. Em 2015, houve uma queda de -4,93%, posteriormente aprofundada para -16,81% em 2016. Os dados foram apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Se tratando de Tecnologia da Informação aplicada ao negócio, o setor financeiro no Brasil ganha disparado em termos de montante de dinheiro investido para fazer o negócio acontecer. Entretanto, o avanço da transformação digital vem imponto ritmo diferente nas empresas de diversos setores, como é o caso do Varejo. Aliás, essas duas verticais nunca estiveram no mesmo patamar de demanda: falar a língua do cliente, mergulhar no digital, ter eficiência operacional e ser inovador.


E o perfil dos consumidores é um dos fatores para a explosão do digital no cotidiano dos varejistas. Aqui, não há mais espaço para amadorismo ou ambientes tradicionais, o Varejo é uma indústria dinâmica e precisa ser operado da mesma forma. Para o gerente de Marketing da Nutty Bavarian, Danilo Tanaka, a empresa trabalha com foco no digital, principalmente nas redes sociais.

Na contramão do que muita gente pensa, um profissional altamente produtivo não é o que resolve um grande número de tarefas em pouco tempo; na verdade, é aquele que sabe selecionar as poucas atividades que merecem sua atenção — e não desiste até que estejam concluídas.

Entender essa diferença conceitual é o primeiro passo para alavancar o seu rendimento e ter sucesso em um mercado de trabalho cada vez mais exigente, explica Brian Tracy, especialista em administração do tempo e autor do best-seller “Comece pelo mais difícil” (Sextante, 2017

De tudo que você quiser fazer da sua vida, e graças a Deus cada vez existem mais possibilidades, o empreendedorismo certamente é um dos caminhos mais difíceis. Apesar de muitas vezes a imaginação da maioria tem outra ideia ao verem em revistas e histórias de grandes empresários e suas aquisições.

O detalhe é que quando começam a levar mais a sério a questão e se movimentar para empreender, a cobra-fuma, o bicho pega, ou qualquer gíria que você use para destacar que a encrenca é pesada.

Em geral gestores não pensam em algo que é essencial antes mesmo de refletir se tem a confiança da sua equipe, segundo explica a coach executiva Eva Hirsch Pontes. 

Assista ao vídeo aqui  

Fonte: Exame