A Apple, fabricante do iPhone e dos computadores Mac, tornou-se a primeira empresa do mundo a atingir o valor de mercado de um trilhão de dólares (3,7 trilhões de reais), o equivalente a 56% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. A marca foi alcançada na semana passada depois que a empresa informou que o seu lucro líquido subiu 17% no trimestre encerrado em junho contra igual período de 2017, para 53,3 bilhões de dólares, e o lucro avançou 32%, para 11,5 bilhões de dólares. Fundada em 1976 por Steve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne, a empresa de tecnologia quase foi à falência no final da década de 1990, mas a sua impressionante virada para se transformar em ícone moderno oferece preciosas lições para empreendedores de todas as áreas:

Um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o uso do cartão de crédito já não se limita a compra de itens de mais alto valor, que geralmente são parcelados. As despesas correntes, incluindo produtos de primeira necessidade, também já fazem parte das aquisições mais feitas via cartão. No último mês de junho, os alimentos de supermercados lideraram esse tipo de compra, com 63% de menções, seguidos dos remédios (45%) e dos combustíveis (37%). Somente em quarto lugar aparecem as roupas, calçados e acessórios (36%).

Representantes de entidades do setor de comércio e serviços estiveram hoje (7) com o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Carlos Marun, para defender a votação dos destaques e emendas à proposta de Lei do Cadastro Positivo. O texto já foi aprovado em Comissão na Câmara Federal e está na pauta do Plenário da Casa. Após ser apreciado pelos deputados, segue para o Senado e depois para sanção presidencial.

Onipresentes no dia a dia de muitos brasileiros, os smartphones facilitam a vida de diversas maneiras, inclusive para fazer compras. Um estudo realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que nos últimos 12 meses, mais da metade (51%) dos internautas fizeram alguma compra por meio de aplicativos – o percentual é ainda maior entre a população mais jovem (60%).

Os empresários dos ramos do varejo e de serviços estão otimistas com o segundo semestre, embora os primeiros seis meses do ano tenham sido difíceis para os setores. Um estudo realizado em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revela que 44% apostam em um cenário econômico melhor do país no segundo semestre em relação ao primeiro — número que cai para 27% na região Centro-Oeste. Enquanto 38% acreditam que será igual e apenas 14% estimam um quadro pior.