Faltando apenas uma semana para o Natal, alguns consumidores brasileiros não perdem o velho costume de deixar tudo para a última hora. Dados apurados em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estimam que 9,3 milhões de pessoas pretendem realizar as compras de Natal apenas nesta semana que antecede a comemoração, o que representa 8% dos consumidores que têm a intenção de presentear alguém neste fim de ano. O percentual é similar com o observado no Natal do ano passado, que estava em 9%.

Originado da palavra “Brand”, que em português significa “Marca”, o termo “Branding” não tem uma tradução exata no nosso idioma, mas nada mais é que um conjunto de ações para a construção e gestão da imagem de uma empresa. Seu principal objetivo é expandir o alcance positivo das marcas, fazendo com que estas sejam itens de desejo. Em nosso dia a dia vemos frequentemente exemplos de branding, ou seja, logo vem na memória assim que se pronuncia o nome, como é o caso do McDonald’s, Google, Apple e Adidas, por exemplo.

Organizações ágeis estão estabelecidas sobre culturas centradas nos consumidores, pois a mentalidade necessária para apoiar a velocidade, adaptatividade e inovação é altamente sintonizada com as necessidades e experiências dos clientes. É isso que aponta a mais recente pesquisa da ADP, uma das maiores fornecedoras de soluções de tecnologia para gestão de capital humano no mundo, encomendada à consultoria Gallup.

Micro, pequenos e médios empresários já tocam seus planos para o ano que vem. Lars Leber, country manager da Intuit no Brasil, afirma que muitos empresários brasileiros podem e estão otimizando o planejamento de seus negócios com tecnologia. As novas soluções também são eficientes no controle das finanças.

O poupador brasileiro é conservador e pouco afeito a diversificar suas escolhas de investimento. Dados apurados pelo Indicador de Reserva Financeira da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que 60% dos brasileiros que costumam guardar dinheiro aplicam esses recursos na caderneta de poupança. Outros 24% de entrevistados disseram manter o dinheiro na própria casa, enquanto 22% optaram pela conta corrente.