A trajetória de queda da taxa básica de juros (Selic) somada às projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020, que segundo o Banco Central foi elevada de 2,24% para 2,25%, refletem em um quadro mais otimista para os próximos meses. É o que aponta o levantamento “Retrospectiva 2019 x Expectativas do consumidor para 2020”, realizado pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Apesar dos números mostrarem que boa parte dosbrasileiros sentiram os efeitos da economia em lenta recuperação ano passado, seis em cada dez (61%) entrevistados esperam um cenário melhor para o país.

Entre os que apostam em uma situação mais favorável este ano, 60% estão otimistas mesmo com todos os problemas conjunturais, enquanto 48% acreditam que haverá recuperação econômica e 26% que o governo deve conseguir realizar as reformas que o país precisa. Considerando o aspecto financeiro pessoal em 2020, a perspectiva de 65% é de que sua vida seja melhor do que em 2019, dos quais mais da metade (57%) acredita conseguir manter as contas em dia e 53% imagina economizar um pouco e fazer reserva financeira. Já 52% planejam realizar algum sonho de consumo.

Outro dado revela que a crise fez com que muitos brasileiros aprendessem algumas lições para o dia a dia. Quase que a totalidade dos entrevistados afirmou que deve adaptar-se para ajustar o orçamento e enfrentar tempos difíceis. Assim, a grande maioria (97%) pretende adotar medidas, como pesquisar mais preço, ter maior controle sobre as contas da casa, comprar produtos similares aos de marcas mais baratas, evitar fazer compras parceladas e guardar dinheiro.

Otimismo em alta

– 61% acreditam em cenário melhor para a economia brasileira;

– Para os otimistas: 57% dizem que conseguirão manter as contas em dia, 53% pretendem economizar e fazer uma reserva financeira, 52% desejam realizar algum sonho de consumo;

– 65% esperam uma vida financeira melhor que em 2019;

– 97% pretendem adotar algumas medidas para enfrentar tempos difíceis, como fazer mais pesquisas de preço (46%), ter maior controle sobre as contas da casa (42%), comprar produtos similares de marcas mais baratas (38%), evitar compras parceladas (37%) e guardar dinheiro (358%);

– Projetos que envolvem planejamento financeiro:  49% esperam juntar dinheiro, 30% querem fazer uma viagem, 28% pretendem comprar ou reformar a casa, 27% pretendem sair do vermelho e 26% esperam adquirir eletrônicos.

Por Varejo S.A.