Conquistar a preferência do consumidor, diante da imensidão de opções disponíveis no mercado atualmente, é um desafio enfrentado pelas empresas nos mais variados setores da economia. Atingir esse objetivo, porém, não é tão simples. Mesmo quem oferece serviços e produtos de qualidade e uma experiência positiva sabe que, no fim do dia, o consumidor pode ser infiel a uma marca simplesmente por uma eventual conveniência – uma loja no caminho de casa, por exemplo.

Na Europa, esse cenário gerou um ambiente de negócios que já está consolidado: há 30 anos o mercado de loyalty se dedica ao desenvolvimento de estratégias de relacionamento com o cliente. “Vemos no Brasil uma grande oportunidade de desenvolvimento da estratégia de fidelização para os nossos clientes, pois este conceito de campanhas ainda é algo muito novo no mercado brasileiro”, afirma Wagner Morais, country manager da Jakala.

Estrategicamente com sede no Brasil, a empresa italiana já possui uma sólida experiência no segmento em que atua e traz para cá tal expertise. “A vinda da Jakala para o Brasil faz parte da estratégia de expansão externa do grupo, que visa desenvolver inovação em Loyalty e inteligência de mercado”, revela Wagner.

O método de atuação da Jakala colabora com o desenvolvimento do mercado brasileiro especialmente porque traz uma atitude totalmente proativa, colaborando com o desenvolvimento de toda a estratégia da empresa-cliente. Wagner explica que a primeira etapa do processo desenvolvido pela Jakala consiste em entender a necessidade da empresa-cliente, ajudando-as a desenvolver projetos, conquistar objetivos de negócios planejados e alavancar a estratégia de venda de produtos ou serviços, por meio de recompensas aspiracionais. “Não existe um modelo pré-definido dos objetivos, nosso trabalho é exatamente desenvolver uma consultoria estratégica ao departamento de marketing e vendas”, diz o executivo.

“Nós preservamos o DNA estratégico dos nossos clientes, analisando e direcionando a melhor estratégia a seus pilares, sejam eles, saudabilidade, sustentabilidade, educacional ou gastronômico”, afirma. A Jakala conta com uma equipe de mais de 750 profissionais, dos quais grande parte é da área de tecnologia. Como uma Martech (Marketing e Tecnologia) está também dedicada ao modelo data-driven no qual a empresa conta também com cientistas de dados que fazem parte do processo de definição de análise de informações.

Processo de engajamento

Ao desenvolver uma parceria com outra empresa, o trabalho da Jakala começa na consultoria da estratégia ideal, voltada para os objetivos e necessidades da organização que a contratou. “Analisamos vários dados antes de definir o mecanismo da campanha”, diz. Entre as opções, há os modelos de compre e ganhe (self liquidez), junte e troque, gamificação e plataforma digital, que correspondem ao modelo de campanha de marketing de colecionáveis – conhecida pelos consumidores também como “campanhas de selinhos”.

Após essa definição, a Jakala desenvolve todo o processo da campanha, passando pela consultoria, definição de mecanismos, prêmios, plataformas e ativação, sempre pensando em como recompensar o consumidor pela fidelidade. Esse processo é chamado de Gestão 360º. “Esse é nosso grande know-how”, diz. É por meio dele que a empresa adapta e define a melhor estratégia para a organização que a contrata: a Jakala cria campanhas para empresas de varejo, serviço e indústria. “Já vimos vários cases de empresas que tentaram fazer gestão da campanha sozinhos e foram malsucedidos por não conseguirem atender às expectativas dos consumidores, tendo ruptura de estoque por exemplo”. Ao contar com um parceiro totalmente dedicado à campanha, a empresa conta com uma consultoria especializada.

O ambiente digital também pode ser envolvido na estratégia. Segundo o executivo, as campanhas físicas colecionáveis são focadas em buscar o aumento do ticket médio, mudança do comportamento do consumidor, maior fidelidade e frequência dos consumidores em suas lojas físicas. As digitais, por sua vez, focam no engajamento e na interatividade das plataformas digitais baseadas na gamificação, vouchers de descontos, catálogo entre outros, além de possibilitar uma forma de monetizar dados dos clientes participantes, com maior assertividade. Naturalmente, há também as campanhas híbridas.

Wagner explica que é essencial investir em planejamento. Por isso, a empresa pensa em tudo: Da definição do mecanismo, fornecimento dos prêmios ao gerenciamento da campanha e incluindo a projeção do retorno de investimento (ROI).

Recompensa

É evidente que, para que o consumidor esteja de fato satisfeito com a experiência de fidelização, os prêmios precisam ser de qualidade. E esse é outro diferencial da Jakala. Preocupada também com essa etapa da jornada, a empresa conta com licenças estratégicas e de aspecto aspiracional, tanto adulto quanto infantil. O portfólio atende diversos mecanismos de campanha, sejam colecionáveis, sejam instantâneos, como cards, figurinhas, miniaturas e vários outros.

“As marcas das licenças para adultos são reconhecidas mundialmente e possuem diferenciais em relação ao design, qualidade e inovação”, conta. A empresa também tem uma parceria estratégica com a Universal Pictures, o que permite oferecer um portfólio de prêmios atrelados a grandes marcas como Minions, Trolls, Shrek, Madagascar, Croods, Velozes e Furiosos, entre outros.

“A licença nos possibilita flutuar em universos distintos, engajando e buscando fidelizar toda a família”, diz. Para viabilizar esse modelo de atuação, a Jakala é responsável pelo desenvolvimento e pagamento direto de royalties para cada licença, conforme sua usabilidade e performance nas campanhas, o que possibilita gerar facilidade às empresas-clientes, que não precisam se preocupar nem mesmo com essa etapa do processo. É possível inclusive que a empresa-cliente opte por importar os brindes da matriz da Jakala, ou diretamente da empresa no Brasil, podendo ter os produtos já nacionalizados e com as devidas certificações.

Por No Varejo