As plataformas de redes sociais já são parte integrante do dia-a-dia do brasileiro. Desde ler as últimas notícias, fazer contato com os amigos, verificar a agenda de eventos, as redes sociais são indispensáveis para o convívio com familiares e a troca de informações no trabalho. Mais recentemente, essas plataformas se estabeleceram como canais para o eCommerce – convergindo as linhas entre a socialização e as compras.

A ascensão do comércio em plataformas digitais está ligada ao crescimento exponencial dos dispositivos móveis. Os consumidores de hoje, especialmente os mais jovens (millenials), conectam-se cada vez mais com pessoas e acessam informações por meio de smartphones, e não pelo navegador tradicional em computadores. Dados da Worldpay indicam que 78% dos brasileiros preferem comprar por aplicativo, e as principais razões são velocidade e simplicidade.


Com consumidores interagindo por meio de smartphones e aplicativos de redes sociais, os varejistas precisam aproveitar todo esse poder das plataformas. Abaixo, uma análise sobre o cenário em cada rede social e o potencial de compras nas três plataformas online mais populares do Brasil:

Facebook

Com mais de 127 milhões de usuários no Brasil, o Facebook é o pioneiro no eCommerce. A integração entre anúncios, oportunidades de varejo e vida social estão entre as vantagens, já que se concentram em um só lugar. A ferramenta é tão simples que, em um só clique, os comerciantes expõem e vendem seus produtos. Além disso, os consumidores podem comprar produtos, com uma experiência frictionless (sem contato) e sem sair do aplicativo do Facebook, evitando o abandono de carrinhos e aumentando as chances de conversão da compra.

Instagram

O Instagram está sempre lançando novas ferramentas inovadoras e que podem ser grandes aliadas do eCommerce. Recentemente o recurso de vídeo de longa duração (IGTV) foi disponibilizado e é utilizado para apresentar produtos aos consumidores que desejam visualizar os produtos no formato ideal para os smarthphones. Para os varejistas, essa é uma oportunidade para envolver os clientes já que os vídeos têm grande potencial de veicular anúncios diretamente relacionados aos produtos, o que aumenta a inclinação do consumidor para a compra.

Facebook Messenger

Embora tecnicamente o Messenger faça parte do Facebook, os varejistas têm muito a ganhar ao olhar para ele como um canal próprio em que as oportunidades são únicas. Uma das possibilidades já utilizadas por varejistas são bots para se comunicar com os clientes e obter vendas por meio do botão "comprar" integrado ao aplicativo. As marcas podem até pagar para entregar anúncios patrocinados aos usuários, desde que eles tenham se engajado com a marca no passado. Fica claro que o Messenger está no caminho de um comércio cada vez mais conversacional.

À medida que o futuro do varejo on-line evolui, as redes sociais, sem dúvida, continuarão a desempenhar um papel importante na forma como fazemos compras online. Comerciantes que desejam capitalizar as possibilidades de compras devem se lembrar de dois valores-chave: diversão e conveniência. Quando a navegação e a compra parecem uma extensão agradável e natural das mídias sociais, os consumidores estarão mais propensos a concluir a compra e voltar a fazer novos negócios.

Fonte: Administradores