Neste mês, o projeto Cativando Sorrisos completa seis anos de trabalho no Distrito Federal. Iniciativa da Fundação da Câmara de Dirigentes Lojistas do DF, CDL-DF, trata-se de um programa que oferece tratamento dentário gratuito para crianças e adolescentes em situação de risco social. Do lançamento, em 2011, até o fim do primeiro semestre deste ano, foram atendidas, ao todo, quase 4,5 mil pessoas, e realizados mais de 42 mil procedimentos.


 O atendimento é móvel, feito em um consultório montado dentro de uma van, que conta com duas dentistas e uma auxiliar de serviço bucal. Os profissionais visitam creches e abrigos de diversas regiões administrativas do Distrito Federal e deixam o veículo estacionado no local pelo tempo necessário para tratar todas as crianças e adolescentes atendidos pelas instituições.

Os primeiros resultados em relação ao aumento das vendas no setor varejista relacionados aos saques das contas inativas do FGTS puderam ser comprovados no levantamento divulgado nesta segunda-feira (17) pela Secretaria de Assuntos Econômicos (Seplan), do Ministério do Planejamento. Os principais segmentos impactados pela medida foram de supermercados, celulares e automóveis.  O estudo do governo usou como fonte pesquisa divulgada pela CNDL e pelo SPC Brasil, em maio/2017, que constatou que 36% dos recursos sacados do FGTS foi usado para o pagamento de dívidas.


De março até julho deste ano já foram sacados R$ 41,8 bilhões das cerca de 25 milhões de contas inativas do Fundo de Garantia.

A Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) e a CDL Jovem DF consideram a decisão do governo federal de aumentar tributos sobre combustíveis prejudicial para a economia do País. Na avaliação das entidades, a arrecadação tributária pode aumentar com o crescimento econômico e a racionalização das despesas, sem afetar negativamente alguns setores – e, consequentemente, o bolso dos consumidores.

 

O aumento de PIS e Cofins anunciado nesta quinta-feira (20) impacta, além do custo dos combustíveis, o de transportes, que inevitavelmente recaem sobre o valor final dos produtos. “Logo agora que o mercado tem mostrado sinais de melhora, com a inadimplência em queda, especialmente no Distrito Federal, o aumento de preços pode fazer com que caia o consumo e que, possivelmente, o número de inadimplentes volte a subir”, sinaliza o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto.

O desemprego atingiu níveis recordes este ano e, atualmente, afeta mais de 14 milhões de pessoas no País, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A crise econômica vivenciada especialmente nos últimos dois anos também afetou o comércio. Mesmo assim, o setor continua em alta e, no Distrito Federal, é o que mais emprega a população.

Segundo a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio (PDAD) do DF, feita pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), 27,6% da população ocupada trabalha no varejo. Em janeiro deste ano, o nível de ocupação do comércio cresceu 2,5%, o que equivale a 6 mil novos empregos. Em maio, mais 17 mil postos de trabalho foram criados (3 mil a mais que em abril). Os setores que mais empregaram foram serviços (2,2%) e comércio (1,3%).

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), José Carlos Magalhães Pinto, os números mostram o quanto o varejo tem sido resiliente, mesmo em meio à dificuldade. “No caso específico do DF, outras variantes se somam à desaceleração da economia neste semestre, como o racionamento de água e o aumento no preço das passagens de ônibus. Tudo isso afeta diretamente o comércio, e mesmo assim continuamos na frente nesse processo de recuperação”, ressalta.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), José Carlos Magalhães Pinto, participou na última quinta-feira (29) de reunião na Caixa Econômica Federal, uma das principais instituições financeiras do Brasil, para negociar parcerias. Também estiveram presentes representantes da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).