Na noite de segunda-feira (17), o secretário adjunto da fazenda do DF, Wilson José de Paula, e o secretário de economia e desenvolvimento do DF, Antônio Valdir Oliveira Filho, se reuniram com diretores, conselheiros e associados da CDL-DF na sede da entidade. O encontro buscou abordar as contas do governo com transparência e convidar os empresários a participarem da agenda pública local.

Wilson José de Paula apresentou o sistema de monitoramento de receita do DF, mostrando a arrecadação e os gastos da pasta, além do controle diário dos produtos que entram e saem da cidade, com acompanhamento individual dos produtos e relação dos itens mais comprados fora do DF, reunidos por notas fiscais, CPF e CNPJ.

Nesta quinta-feira (13), a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) celebra 52 anos de trabalho na capital federal. Fundada em 1965, pouco tempo depois da inauguração de Brasília, a entidade é conhecida por fornecer informações de crédito ao comércio e por defender os interesses do varejo local perante o poder público.

 

A CDL-DF surgiu pela iniciativa do pioneiro José de Melo, que presidiu o que, a princípio, foi chamado de Clube dos Diretores Lojistas. O propósito era unir empresários locais – em um formato de organização que já existia em quase todas as outras capitais brasileiras – e fortalecer o segmento enquanto a cidade ainda se formava, criando uma entidade que os identificasse.

Na noite da última terça-feira (28), tomou posse o novo presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), o empresário José Carlos Magalhães Pinto. A solenidade ocorreu no espaço Dúnia City Hall, localizado na QI 15 do Lago Sul. Também foram empossados os presidentes da CDL Jovem DF, Raphael Paganini, e da Fundação CDL, Diógenes Taroni da Silva, além dos diretores e conselheiros da gestão do biênio 2017-2018.

Em 2016, a Páscoa deixou muitos lojistas desapontados com a queda nas vendas dos ovos de chocolate. Mas neste ano, o comércio está otimista e focado em estratégias para atrair o consumidor, além de contar com um cenário mais favorável. 

 

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a páscoa deste ano trará a primeira alta nas vendas desde 2014. A estimativa é que haja um aumento de 1,3% nas vendas de ovos de páscoa (já descontada a inflação) para o mês de abril, na comparação com 2016. Dessa forma, o período deve movimentar R$ 2,1 bilhões no País. Em 2015 e no ano passado, houve queda de 1% e 4,3%, respectivamente.

Ter uma equipe treinada e qualificada pode significar grandes ganhos para o comércio. Além de incrementar a produtividade e a rentabilidade, traz diferenciação entre os profissionais, e, consequentemente, nas lojas em que trabalham.

Para o superintendente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal, Antônio Xará, com treinamento e capacitação de pessoal, a loja se torna mais atraente para o consumidor, além de estar preparada para todos os perfis de consumidores, para novas tendências e oportunidades de negócios.