Seguindo o patamar registrado no primeiro semestre, o número de inadimplentes no Distrito Federal seguiu estável durante o mês de agosto, com ligeira queda de 0,81% ante julho. O dado é levantado mensalmente pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), e divulgado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do DF.

Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, a inadimplência cresceu 8,15%, como mostra a tabela a seguir:

Número de inadimplentes no DF em 2018

Mês

Janeiro

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

Agosto

% ante mês anterior

-1,77%

0,41%

2,44%

3,79%

-0,5%

1,04%

-0,57%

-0,81%

% ante mesmo mês de 2017

2,97%

3,82%

4,9%

9,12%

7,67%

8,82%

9,06%

8,15%


Para o presidente da CDL-DF, José Carlos Magalhães Pinto, os aumentos consecutivos no número de inadimplentes no DF neste ano estão relacionados com a volta do consumo das famílias, movimento que se repete em outras unidades da federação. "Em 2017, registramos queda na inadimplência na maior parte dos meses, especialmente no primeiro semestre, pois a população estava evitando consumir. Conforme a economia apresentou sinais de melhora, essas pessoas voltaram a comprar e, também, a contrair dívidas", explica.

A módica queda dos inadimplentes em agosto, no entanto, é um indicativo de que o consumidor está se conscientizado, já que o mês contou com o Dia do Pais, que traz um gasto para muitas famílias. "Ninguém precisa deixar de comprar, pois a recuperação econômica depende dessa movimentação, mas é necessário planejar, avaliar o orçamento familiar e entender quais são as necessidades e o que é supérfluo", aconselha. "Fazer pesquisa de preço e pagar à vista são as melhores dicas, e vale ressaltar que, quanto menor a inadimplência, menor tendem a ser os juros", sugere.

O último levantamento em números absolutos de inadimplentes no DF, divulgado em janeiro, revelou que havia 906 mil pessoas físicas negativadas na capital (39,53% da população entre 18 e 94 anos).