Nesta sexta-feira (13), a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) celebra 53 anos de trabalho na capital federal. Durante esse período, a entidade cresceu juntamente com Brasília, apoiando o varejo local de forma contínua.

Especialmente neste último ano, a CDL-DF estreitou as relações com Governo do Distrito Federal (GDF) para levar ao poder público as demandas do setor varejista, demonstrando participação ativa. “Entre nossas principais conquistas, está o encaminhamento do projeto de revitalização das quadras 511 e 512 Sul, que têm o intuito de servir como ponto de partida em um objetivo maior: reavivar a W3, que já foi o principal ponto de vendas da cidade, e o comércio de rua em geral”, defende o presidente da entidade, José Carlos Magalhães Pinto.

Na atual gestão, a CDL-DF tem, ainda, trabalhado em âmbito nacional, especialmente para lutar pela competitividade do Distrito Federal perante outros estados. Além de participar de encontros com entidades outras localidades e até mesmo com o Governo Federal, o presidente da CDL-DF foi eleito no início deste ano vice-presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

História

Fundada em 1965, pouco tempo depois da inauguração de Brasília, a entidade é conhecida por fornecer informações de crédito ao comércio e por defender os interesses do varejo local perante o poder público.

A CDL-DF surgiu pela iniciativa do pioneiro José de Melo, que presidiu o que, a princípio, foi chamado de Clube dos Diretores Lojistas. O propósito era unir empresários locais – em um formato de organização que já existia em quase todas as outras capitais brasileiras – e fortalecer o segmento enquanto a cidade ainda se formava, criando uma entidade que os identificasse.

Nos anos1960, vender a prazo no Distrito Federal era uma aventura de alto risco, e o comércio necessitava de instrumentos que oferecessem alguma margem de segurança. “Os moradores vinham de fora, com a necessidade de adquirir bens, e sem nenhuma referência. Muitas vezes, estavam na cidade somente de passagem, então, o calote era uma realidade frequente”, explica Magalhães Pinto.

A entidade oferece uma gama variada de serviços, na qual o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) é seu principal produto. O SPC proporciona aos associados mais segurança no momento de efetivar a venda e também ajuda a evitar fraudes para os consumidores. Inclusão na internet, Protesta Fácil, Sicoob Credilojista Cadastro Positivo e Treine Sua Equipe também fazem parte do pacote de serviços diferenciados oferecidos pela CDL-DF. Para atender ao propósito de inovação no varejo, o órgão conta, ainda, com a CDL Jovem, voltada para novos empresários e para a aplicação de novas tecnologias no comércio. A Fundação CDL é o braço social, responsável por ações contínuas com crianças carentes da cidade.

Hoje, a entidade conta com cerca de 5 mil associados. Para José Carlos Magalhães Pinto, a CDL-DF tem papel fundamental na região, já que propõe uma agenda pública que atenda às reivindicações do setor. “Trata-se de uma organização que vive de seus serviços, sem receber verba governamental, com profissionais empenhados que trabalham pro bono, e uma rotatividade de gestores que permite à CDL-DF estar sempre oxigenada”, defende.