Pesquisa realizada pelo Sistema de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 73% dos brasileiros pretendem comprar presentes para celebrar o Dia das Mães – segunda data comemorativa mais importante para o varejo nacional, tanto em volume de vendas quanto em faturamento. Isso equivale a aproximadamente 109 milhões de pessoas, o que deve injetar R$ 14 bilhões nos setores de comércio e serviços. Entretanto, a maior parte dos consumidores mostra cautela na hora de definir o gasto.

 

Apenas 10% afirmaram ter intenção de desembolsar mais do que no ano passado; 38% planejam gastar a mesma quantia, e 27% pretendem diminuir. Os que não planejam comprar presentes representam 25%, além de 2% de indecisos.

 

O levantamento revela ainda que 65% dos entrevistados preferem o pagamento à vista. Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), José Carlos Magalhães Pinto, o número deve ser comemorado. “Essa perspectiva é ótima, pois o consumidor tem mais controle, não cria dívidas, não perde dinheiro com juros e, normalmente, paga mais barato o produto, o que é bom para ele e para o comércio, que faz o dinheiro circular mais rapidamente”, opina.

 

O presidente ainda ressalta também que os saques de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) devem colaborar com as compras de presentes nas vésperas do Dia das Mães, especialmente porque o terceiro lote de saques estará disponível na próxima sexta-feira (12). “Além disso, como a cidade tem grande quantidade de servidores públicos, e eles estão recebendo em dia, a tendência é que as vendas deste ano sejam mais numerosas que no ano passado, quando estávamos no auge da crise”, finaliza.